Jornal Correio de Notícias

Conhecer sistemas elétricos pode evitar aquisições de produtos incorretos ou mesmo acidentes

E-mail Imprimir

São Paulo - Eletricidade é coisa séria e muitos consumidores enfrentam dúvidas na hora de optar por materiais elétricos, lâmpadas ou equipamentos que funcionam com energia elétrica. Voltagem, potência e corrente elétrica são temas comuns no cotidiano de qualquer residência. Mas afinal o que significam esses termos tão interligados e quais os efeitos práticos no dia a dia das pessoas? Gilmar do Nascimento, subgerente de vendas da Santil, explica e dá algumas dicas para tornar a vida do consumidor mais fácil e segura.
“Existem dúvidas muito comuns sobre tensão, corrente, resistência, potência elétrica. Diariamente nos deparamos com estas questões por parte de consumidores finais e também de eletricistas e outros profissionais, seja no balcão de nossas lojas ou pelo site ou SAC”, conta Nascimento.
Potência elétrica
Um dos fatores mais importantes na escolha de um produto elétrico, como um chuveiro, por exemplo, é a potência elétrica, que está diretamente ligada à força do motor do aparelho – e também ao consumo de energia elétrica.
A potência é a quantidade de energia que passa por um condutor durante um período de tempo e é dimensionada pela medida Watt (W). Quanto maior a potência, mais rápido, mais quente ou frio torna-se o aparelho, ou maior é a luminosidade de uma lâmpada. No entanto, o consumo de energia eleva-se proporcionalmente.
Aparelhos com maior potência consomem mais, independentemente se tiverem tensão 127V ou 220V. Pode-se dizer que a potência nominal da lâmpada está ligada ao brilho e à energia que está sendo transformada em cada unidade de tempo. Se utilizada de acordo com as especificações do fabricante, uma lâmpada de 100 W brilha mais e consome mais energia que o mesmo modelo de 50 W, por exemplo.
Tensão elétrica
Outra medida muito comum é a tensão elétrica – ou voltagem –, cuja dimensão é Volt (V). A tensão (ou DDP - diferença de potencial) é definida como diferencial de potencial elétrico entre dois pontos, que gera uma corrente elétrica.
Vale lembrar que é necessário verificar sempre qual a tensão do aparelho/produto e da tomada onde o mesmo será ligado. Em geral, as tensões residenciais são 127V e 220V. Se um aparelho concebido para receber 127V for ligado numa tomada 220V, ele receberá mais energia do que suporta, e poderá, simplificadamente, ‘queimar’. Do contrário, ele será subutilizado.
No Brasil se convencionou usar 110V para a alimentação de lâmpadas e tomadas e 220V para equipamentos de alta potência, como ar condicionado, chuveiro e torneira elétrica.Mas ambas as voltagens têm o mesmo desempenho, consumo de energia e grau de periculosidade. A única diferença entre as tensões está relacionada ao dimensionamento dos componentes da instalação elétrica.
Os circuitos de 220V permitem a utilização de condutores com seção nominal (bitola) menor em relação aos de 110V (ou 127V). Isso em função da corrente elétrica, que é maior em instalações de 110V.
Corrente elétrica
A corrente elétrica é o movimento ordenado de cargas elétricas positivas e negativas através de um condutor elétrico. Esse fluxo de elétrons ocorre quando circula por um condutor passando da extremidade de menor para de maior potencial. Há dois tipos de corrente elétrica: corrente contínua, gerada por pilhas e baterias, e corrente alternada, gerada por usinas que transformam qualquer tipo de energia em elétrica, a qual chega até nossas casas.É a corrente elétrica que provoca choques quando passa pelo corpo humano, podendo matar.
Para gerar uma corrente, é preciso que haja uma fonte de tensão elétrica (uma pilha ou bateria, por exemplo), um condutor (como um fio), um dispositivo consumidor (lâmpada) e um circuito fechado entre eles (um interruptor).
Nesse processo, é preciso ficar atento também com o fio ou cabo utilizado, que precisa ser compatível com a corrente que passa por ele. Se o diâmetro for muito fino, pode não suportar o calor gerado e provocar curto-circuito. Quanto mais elevada a corrente, mais grosso precisa ser o cabo. Num chuveiro com 4.500W de potência instalado num circuito de 127V, por exemplo, utiliza-se um condutor de 6mm², enquanto que o mesmo equipamento em 220V utiliza um de 4mm².

 

Publicidade

Publicidade

Blogs

Enquete

Você é favor da convocação de Eleições Gerais no Brasil
 

Twitter CN

    Newsletter

    Expediente

    EXPEDIENTE
    Rua Santos Ferreira, 50
    Canoas - RS
    CEP 92020-000
    Fone: (51) 3032-3190
    e-mail: redacao@jornal
    correiodenoticias.com.br

    Banner
    Banner
    Banner

    TurcoDesign - Agencia de Publicidade Digital